16 de out de 2010

A VIAGEM Uma homenagem aos que desembarcaram tão cedo, neste outubro de 2010.

Dia desses recebi um e-mail que comparava a vida à uma viagem de trem. Uma comparação extremamente interessante porque, se pensarmos um pouco, nossa vida é como uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques, de pequenos acidentes pelo caminho, de surpresas agradáveis com alguns embarques e de tristezas com os desembarques...
Quando nascemos, ao embarcarmos nesse trem encontramos duas pessoas que acreditamos que farão conosco a viagem até o fim: nossos pais. Não é verdade. Infelizmente, em alguma estação eles desembarcam deixando-nos órfãos de seus carinhos, proteção, amor e afeto. Mas isso não impede que durante a Viagem embarquem pessoas interessantes que virão a ser especiais para nós: nossos irmãos, amigos e amores.
Muitas pessoas tomam esse trem a passeio, outras fazem a viagem experimentando somente tristezas. No trem há também outras que passam de vagão em vagão, prontas para ajudar quem precisa. Muitos descem e deixam saudades eternas. Outros viajam no trem de tal forma que quando desocupam seus assentos ninguém sequer percebe. Curioso é considerar que alguns passageiros que nos são tão caros acomodam-se em vagões diferentes do nosso. Isso nos obriga a fazer essa viagem separados deles. Mas isso não nos impede de atravessarmos, com grande dificuldade, nosso vagão e chegarmos até eles. Essa viagem é assim: cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, embarques e desembarques.
Agora, nesse momento, o trem diminui sua velocidade para que embarquem e desembarquem pessoas. Minha expectativa aumenta à medida que o trem vai diminuindo sua velocidade... Quem entrará? Quem sairá? Eu gostaria que você pensasse no desembarque do trem, não só como a representação da morte, mas também como o término de uma etapa da estória pessoal de quem desembarcou, de uma história que duas ou mais pessoas construíram e que permanecerá como parte de sua, de nossas vidas até o infinito. Elas partem, mas deixam sempre algo conosco e isso sobrevive a tudo e a todos. Assim foi com Sérgio, com Artur, com Sandra, com Mauro e tantos outros que desembarcaram recentemente.
Sabemos que esse trem jamais volta. Façamos essa viagem da melhor maneira possível, tentando manter um bom relacionamento com todos, procurando em cada um o que ele tem de melhor, lembrando sempre que em algum momento do trajeto poderão fraquejar, e, provavelmente, precisaremos entender isso. Nós mesmos fraquejamos algumas vezes. E, certamente, alguém nos entenderá.
O grande mistério é que não sabemos em qual parada desceremos. E fico pensando: quando eu descer desse trem sentirei/ deixarei saudades? Sim. Todos sentimos, todos deixamos. E me agarro na esperança de que em algum momento estarei na estação principal e terei a emoção de vê-los chegar com sua bagagem, que não tinham quando embarcaram.
Agradeço muito por você fazer parte da minha viagem, e por mais que nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, o vagão é o mesmo.

Lucy Bortolini Nazaro
Escritora. Membro da APAL e da ALAP.

Meu livro "Quimeras" no You Tube Visite!


Meu livro de poesias Quimeras, foi colocado no you tube, por Iara Melo . Ficou lindo. Visitem e leiam. Obrigada.

3 de out de 2010

Dia 02 de outubro é comemorado o aniversário de Ghandi


Túmulo de Gandhi- Nós estivemos lá.

Dia 2 de Outubro é feriado na Índia, pois celebram o aniversario de nascimento de Mohandas K. Gandhi

Gandhiji (o sufixo indica respeito na Índia) nos mostrou como enfrentar de forma resolvida ao medo, a compreender a importância da verdade e a trabalhar para a erradicação da pobreza, o analfabetismo e a discriminação", disse a presidente, Pratibha Patil, em mensagem divulgada às vésperas da comemoração.
Centenas de pessoas, entre elas crianças, se aproximaram no dia 02/10/10 do mausoléu de "Mahatma" (Grande Alma) para cantar canções e espalhar pétalas sobre a lâmina de água do monumento, segundo a agência de notícias "Ians".

Nascido em 2 de outubro de 1869 no atual estado de Gujarat (oeste da Índia), Gandhi estudou Direito na Inglaterra e viveu na África do Sul antes de liderar a luta pacífica pela independência indiana do Império Britânico, obtida em 1947.

Gandhi fez da "não violência" ou desobediência civil uma estratégia de luta contra o Império Britânico, defendeu por acabar com a injustiça perpetuada pelo sistema de castas e foi um firme defensor da harmonia interreligiosa.

"Sigamos o caminho da verdade e da não violência, vamos nos dedicar a promover a paz, a tolerância, a harmonia e a trabalhar pelo progresso da nação", pediu a presidente indiana por causa do aniversário.

Om Shanti e Ahimsa

Nota de Falecimento: Faleceu dia 03 de outubro/2010, o Presidente da Academia Paranaense de Letras, Ilustre Senhor José Carlos Veiga Lopes



É com pesar que informamos o falecimento, na data de hoje - 03 de outubro de 2010,

do Ilustre Senhor José Carlos Veiga Lopes - Presidente da Academia Paranaense de Letras.
O corpo foi velado no Cemitério Parque Iguaçu em Curitiba e o sepultamento , no dia 04/10/10 as 11 horas no mesmo local. (Informação pela Poeta Andréa Motta- Adm. Blog Simultaneidades)

Nascido em Curitiba em 07 de maio de 1939, formado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Paraná, apaixonado por História. Escreveu vários livros:

Sapecada - Contos regionalistas dos Campos Gerais (1972).

Esboço Histórico da Fazenda Santa Rita - edição mimiografada em 1973, e 2ª edição em 1974.
As Aves do Céu tem ninhos - Romancete Regionalista dos Campos Gerais - (1977).
Curucaca - Ensaios sobre a ave símbolo dos Campos Gerais - (1981).
Açoiteira - Contos regionalistas dos Campos Gerais - (1991).
Origens do Povoamento de Ponta Grossa - Estudo Histórico - (1999).
Raízes da Cidade da Palmeira - Estudo Histórico - (2000)
Informações sobre os bens de Nossa Senhora das Neves no Paraná - Estudo Histórico (2000)
Antecedentes históricos de Porto Amazonas

Em sua Fazenda Butuquara encontra-se um Museu de Arte Popular Brasileira, com objetos de arte popular de todos os Estados Brasileiros, contendo cerca de 2.000 peças, colecionados desde o ano de 1.955.


Em nome da APAL-Academia Palmense de Letras, de Palmas-PR enviamos nosso pesar à família enlutada

Meu Livro: Quem tem Medo de Gatos? E outras estórias (Ed. Vozes)

Meu Livro: Quem tem Medo de Gatos? E outras estórias (Ed. Vozes)

Sonhos são como nuvens valsando flocos de algodão

Minha foto
Palmas, Paraná, Brazil
Quando o coração começa a viajar cedo na vida, vai se espalhando e esparramando um pedaço da gente em cada canto por onde passamos. Acho que comigo foi algo assim. Minha família sempre ficou com a maior parte, talvez, também, a melhor, mas alguns pedacinhos indiscretos foram se perdendo pelos caminhos. Quando comecei a querer recrutá-los de volta, mandei muita correspondência, escolhi a forma poemas, a forma frases, pensamentos, mas nenhuma resposta imediata. Depois, enviei contos, romance... e usei a internet com suas múltiplas doses de endereços. Comecei a perceber que o que deixei para trás não há como recuperar, mas há sim um jeito de reconstruir esse coração, com novos arranjos, novos pedaços, colhidos aqui e acolá, alguns até parecidos com o meu, e penso que posso torná-lo inteiro novamente. Continuo usando as mesmas formas, porém, com novas fórmulas e novos endereços. Estou gostando das respostas que recebo. Meu coração ainda viaja, mas agora tenho roteiro e carteira de motorista! Prof´Eta (Professora e Poeta).

PÉROLA DO UNIVERSO

Uma curva desvia o que era destino,
Uma força, um vento, um siroco menino
Um grão perdido no sideral espaço
Cria a pérola solitária do universo.

Um róseo coração saltita pelos ares
Navega em barco a vela pelos mares
Voa inquieto, solitário burbulhando amor
Enfeitando jardins verdes de colorida flor.

Há um sonho que insiste se mostrar amarelo,
O quero azul, verde ou vermelho, mas sincero
Exibindo a nave do cósmico voante que o leva
E me busca e em dreams suaves nos enleva.

Mais um risco de um vento no universo... e um grão se fará pérola...

Postagens populares

APAL- Academia Palmense de Letras

APAL- Academia Palmense de Letras
Academia Palmense de Letras