21 de mar de 2009

Meu Coração

Um raio iluminou a noite escura
Instantes mágicos riscaram o horizonte
Um instantâneo mítico da procura
Clareou a névoa rebelde de meu ontem.

Com o raio, uma gota de orvalho
Se desfez em lágrimas
Despencou sorrindo, da flor
Não se fez mar, tornou-se rio...

Manchou encostas pedregosas
Ruiu terras rochosas
Desembestou de roldão
Levou, não a flor, levou o meu coração.

NAZARO, Lucy S. Bortolini. Meu Coração (Poesia) Disponível em: http://lucynazaro.blogspot.com/ Postada em 21 de março de 2009 às 11:12. Licença: Creative Commons.


Creative Commons License
Meu Coração by Lucy Salete Bortolini Nazaro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.

Olhares amantes

O nada invade o ar que povoa um corpo
Caindo silenciosamente no vácuo
Enquanto olha o horizonte morto
À espera da alma desfazendo o pacto.

Uma penumbra invade a mente inquieta,
Sonhos desfeitos lavam esperanças insólitas
Insistindo em começos refazendo-se
À beira de precipícios desnudos

Asas nascem neste vôo feito
Nuvens abraçam o viandante do céu
A lua se esconde para o sol que nasce
E o tudo invade de novo esse mesmo peito.

Naves misteriosas navegam cantantes
Embalando o ar que balança a viagem
Enquanto se faz brisa suave, acarinhando a passagem
E novos olhares se unem amantes.






NAZARO, Lucy S. Bortolini. OLHARES AMANTES(Poesia) Disponível em: http://lucynazaro.blogspot.com/ Postada em 21 de março de 2009 às 11:12. Licença: Creative Commons.

Creative Commons License
OLHARES AMANTES by Lucy Salete Bortolini Nazaro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.

2 de mar de 2009

Quero Sentir Saudades...



NAZARO, Lucy S. Bortolini. Quero sentir Saudades (Poesia) Disponível em: http://lucynazaro.blogspot.com/ Postada em 02 de março de 2009 às 00:12. Licença: Creative Commons.

Creative Commons License
Quero Sentir Saudades by Lucy Salete Bortolini Nazaro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.

O Riso da Noite Escura




NAZARO, Lucy S. Bortolini. O Riso da Noite Escura (Poesia) Disponível em: http://lucynazaro.blogspot.com/ Postada em 02 de março de 2009 às 00:12. Licença: Creative Commons.

Creative Commons License
O Riso da Noite Escura by Lucy Salete Bortolini Nazaro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.

Meu Livro: Quem tem Medo de Gatos? E outras estórias (Ed. Vozes)

Meu Livro: Quem tem Medo de Gatos? E outras estórias (Ed. Vozes)

Sonhos são como nuvens valsando flocos de algodão

Minha foto
Palmas, Paraná, Brazil
Quando o coração começa a viajar cedo na vida, vai se espalhando e esparramando um pedaço da gente em cada canto por onde passamos. Acho que comigo foi algo assim. Minha família sempre ficou com a maior parte, talvez, também, a melhor, mas alguns pedacinhos indiscretos foram se perdendo pelos caminhos. Quando comecei a querer recrutá-los de volta, mandei muita correspondência, escolhi a forma poemas, a forma frases, pensamentos, mas nenhuma resposta imediata. Depois, enviei contos, romance... e usei a internet com suas múltiplas doses de endereços. Comecei a perceber que o que deixei para trás não há como recuperar, mas há sim um jeito de reconstruir esse coração, com novos arranjos, novos pedaços, colhidos aqui e acolá, alguns até parecidos com o meu, e penso que posso torná-lo inteiro novamente. Continuo usando as mesmas formas, porém, com novas fórmulas e novos endereços. Estou gostando das respostas que recebo. Meu coração ainda viaja, mas agora tenho roteiro e carteira de motorista! Prof´Eta (Professora e Poeta).

PÉROLA DO UNIVERSO

Uma curva desvia o que era destino,
Uma força, um vento, um siroco menino
Um grão perdido no sideral espaço
Cria a pérola solitária do universo.

Um róseo coração saltita pelos ares
Navega em barco a vela pelos mares
Voa inquieto, solitário burbulhando amor
Enfeitando jardins verdes de colorida flor.

Há um sonho que insiste se mostrar amarelo,
O quero azul, verde ou vermelho, mas sincero
Exibindo a nave do cósmico voante que o leva
E me busca e em dreams suaves nos enleva.

Mais um risco de um vento no universo... e um grão se fará pérola...

Postagens populares

APAL- Academia Palmense de Letras

APAL- Academia Palmense de Letras
Academia Palmense de Letras